top of page
  • Foto do escritorPlenaVoz

Onde eu assino?

“Onde eu assino” foi gestado por décadas, e veio a nascer do útero sentimental de alguém pertencente à quarta geração, mas o tempo só ajudou na compreensão das liberdades tolhidas por serem consideradas propriedades sem alma e sem subjetividade. Doeu e dói esse processo.

Sobre a obra


“Onde eu assino” foi gestado por décadas, e veio a nascer do útero sentimental de alguém pertencente à quarta geração, mas o tempo só ajudou na compreensão das liberdades tolhidas por serem consideradas propriedades sem alma e sem subjetividade. Doeu e dói esse processo.


São narrados nesta obra fatos que antecederam o embarque ao Tumbeiro (navio negreiro), a cronologia do racismo no Brasil com leis que reprimiam e marginalizavam a população afro-brasileira, facilitando assim a compreensão da solidez da estrutura étnico racial.


Que todos possam através da Educação Antirracista conhecer e serem encorajados com aguilhões de cultura e pertencimentos; é com esse objetivo que este livro foi escrito.


Sobre a autora


CARMELITA FERNANDES


Nasceu no dia 26 de março de 1964, em Duartina, interior do estado de São Paulo. É professora no município de Limeira SP, no Ensino Básico, atuando na rede pública há 28 anos. Formada no magistério, licenciatura em Pedagogia e Pós-graduação em Psicopedagogia. Já é aposentada da Educação Infantil e atualmente leciona na Educação Fundamental como professora polivalente. É ativista pela causa antirracista, vê urgência na necessidade de se ter profissionais da Educação com letramento racial. É autora do livro Infância em preto e branco e coautora da Antologia Sobre-Vivência Poética.


Procura sempre inserir projetos relevantes sobre a identidade e a diáspora africana: importância de saber suas origens desde cedo, valorizando assim a subjetividade de seus educandos.


Enxerga a escola como um local de extrema importância para consolidar a identidade da criança, com professores conscientes de seu papel transformador, colocando em prática ações positivas, sem naturalizar qualquer tipo de preconceito (social, de gênero e de raça) unificando a sociedade num combate efetivo para que o Brasil seja um país do futuro, melhor para todos.




42 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page